Serviços ao Cidadão Portal da TransparênciaControladoriaCasa dos Conselhos
24º | 21 DE setembro
InícioO MunicípioSecretarias e ÓrgãosInvestidoresLinks Úteis Últimas NotíciasRH OnlineWebmail

Sobre Cruzeiro

As rotas comercias estabelecidas pelos mineiros que demandavam aos Portos de Parati e Mambucaba fizeram surgir na região, então conhecida por Embaú, muitas roças dedicadas a fornecer produtos de abastecimento aos tropeiros. Nessa área, o sargento-mor Antônio Lopes de Lavra iniciou, em 1781, a construção da capela dedicada a Nossa Senhora da Conceição do Embaú, concluída seis anos depois.

Na povoação que ao lado da capela se formou, os primeiros povoadores passaram a comercializar os produtos locais, logo aumentando o núcleo urbano. Assim, em 1846, foi criada a freguesia e elevada à categoria de Município, em 1871, com o nome de Conceição do Cruzeiro, invocando a Santa Padroeira e o antigo marco divisório, em forma de cruz, construído no alto da serra, entre São Paulo e Minas Gerais.

Nesse ano, 1871, a Ferrovia Dom Pedro II, atual Central do Brasil, atingiu a povoação próxima, Santo Antônio do Porto da Cachoeira 
(Cachoeira Paulista ); o prolongamento do trecho Paulista, que iniciou-se a partir de São Paulo, passava a oito quilômetros de Conceição do Cruzeiro, não sendo possível alterar seu traçado. Assim, na fazenda Boa Vista, de propriedade de Manoel Freitas Novaes, a Ferrovia instalou uma estação, ao lado da qual se formou um segundo povoado, denominado Estação Cruzeiro.

                       
 

81.406
habitantes
IBGE (2016)

 

305,699 km²
área territorial
IBGE (2015)

 

R$26.519,06
PIB per capita
IBGE (2014)

 

0,788
IDH Municipal
IBGE (2010)

   
         
HIDROGRAFIA   CLIMA   TOPOGRAFIA
         

Sua proximidade às montanhas o premiam com diversos mananciais, observando que os rios e Ribeirões Dolores, da Barrinha, do Embaú, Passa Vinte e Itagaçaba. Esses são os principais que formam a ramificação do Rio Paraíba do Sul, que por ali mostram-se largos e volumosos. Completam a oferta aqüífera outros córregos diversos.

 

Seu clima é o sub-tropical quente, apresentando um inverno seco com baixa pluviosidade. A umidade relativa do ar média é 75,9% e a precipitação pluviométrica anual varia entre 1.400 e 2.500 mm. O movimento dos ventos no município é influenciado pela topografia da região. A circulação do vento de superfície se processa predominantemente nas direções NE, SO e E em qualquer época do ano.

 

Sua topografia apresenta relevo levemente ondulado, alcançando as elevações uma média de 515 metros acima do nível do mar, excetuando-se alguns cumes abruptos que surgem nas encostas da Serra da Bocaina. Tais pontos podem superar a marca de 2.000 metros, citando-se como exemplo o mais elevado, chamado Pico dos Marins, que atinge 2.422 metros de altitude.

SÍMBOLOS
 
 
     
BRASÃO   BANDEIRA
     

O brasão de Cruzeiro foi idealizado por José Heitgen. No alto, apresenta a coroa mural, simbolizando a autonomia do município e um talhado com a bandeira paulista no céu azul. Neste, encontramos as cinco estrelas da constelação do Cruzeiro do Sul, cuja primeira designação simboliza o nome do município; em baixo, o Rio Paraíba correndo em campo de prata e refletindo o azul do céu em seu leito. Já na parte inferior encontramos um listel vermelho com os dizeres “Cultura, Civismo, Paz, Liberdade, Trabalho”.

 

É formada por um retângulo listrado de azul-celeste e branco. No flanco-quartel direito, contém um retângulo vermelho com um círculo branco onde repousa o mapa do Estado de São Paulo, todo em cor azul-celeste. Sobre o conjunto, acha-se colocada a figura da constelação do Cruzeiro do Sul, constituída de cinco estrelas: Gama, Delta, Epsilon, Beta e Alfa, de modo que a estrela Epsilon recaia sobre o mapa de São Paulo assinalando a localização geográfica da cidade de Cruzeiro.

HINO
 

Adotado oficialmente pela lei nº 302 de 30 de junho de 1958
Música e Letra: Cesar Federic

 

Nasceste no vale
Ao pé da colina
Bela e Grandiosa
Cidade menina

A Mantiqueira majestosa a coroar
E o lendário Paraíba
Orgulhoso a te banhar

 

Tens lindo traçado
Escolas, igrejas,
Comércio, indústria
e tudo que almejas

Tens lindos jardins
Com garotas e flores
Que formam buquê
E onde nascem amores

 

Salve Cruzeiro
Nome divino da minha cidade
Teu nome ostenta o emblema 
sagrado da cristandade

Salve Cruzeiro
Terra bendita em que nasci
És de São Paulo
Filha gentil
Pedacinho querido
do meu Brasil.

TURISMO
 
 
Teatro Municipal

O Capitólio Teatro Municipal localiza-se na Rua Engº Antônio Penido, nº 636, no Centro. O Teatro foi inaugurado em 1930 por Domingos Navarra e é considerado, em função de seus traços arquitetônicos, uma réplica do Scala de Milão. O prédio, de estilo eclético, possui dois pavimentos, com salão para eventos, camarins, cozinha, equipamentos e luz e som, sala de espetáculos com palco, poltronas estofadas e camarotes, e sala de espera com sanitários. Uma luxuosa escada de mármore de carrara faz a ligação entre os dois pavimentos. A fachada é ricamente decorada com figuras de rostos humanos e elementos florais. O Teatro sedia espetáculos teatrais, apresentações de música e dança, exposições artísticas e culturais e eventos em geral.

 
 
 
Museu Major Novaes

O Museu Major Novaes, conhecido originalmente por Fazenda Boa Vista, é um patrimônio material que teve a resolução de tombamento iniciado no dia 24 de setembro 1969; Livro do tombo histórico inscrição nº 01, página 02, de 27 de abril de 1971.
 Originalmente as terras da Fazenda Boa Vista eram devolutas e em antigos documentos já eram datadas desde meados do século XVIII, estando em posse de Manuel de Moraes Pinto que as vendeu ao Tenente Cel. Henrique Dias de Vasconcelos, com seu falecimento, sua esposa troca as terras com Joaquim Ferreira da Silva, este que é casado com Dona Fortunata, que após o falecimento de seu marido casou-se ainda mais duas vezes.
 Seu segundo casamento foi com o Capitão Antônio Dias Telles de Castro, que patrocinou a construção da casa sede da Fazenda. Já em seu terceiro casamento, Fortunata se une ao celebre Major Novaes, este que possui grande importância na história da cidade de Cruzeiro, principalmente pela amizade com a família real e Dom Pedro II, proximidade esta que garante investimentos na localidade, algumas visitas à fazenda e a companhia constante ao Imperador em diversos eventos.
 Atualmente, o Museu Major Novaes é um centro cultural e histórico da cidade de Cruzeiro, sendo um espaço público aberto para atividades e eventos culturais além de conter em seu acervo objetos, documentos e memórias históricas importantes tanto para a cidade, quanto para a região do Vale do Paraíba.

 
Mapa do site Dúvidas Frequentes Comunicar Erros
O MUNICÍPIO
Histórico
Dados
Símbolos
Turismo
Comércio
 
Serviços ao cidadão
Centro de Apoio ao Animal
Concursos
Licitações
Sistema Tributário Online
Postos de Saúde
Serviços de Saúde
Instituições de Ensino
  Creches
  Escolas
  Faculdades
Horários e Itinerários dos Ônibus
Links Úteis
Denuncie aqui
 
Secretarias e Órgãos
Prefeitura Municipal de Cruzeiro
Secretaria Municipal de Administração (SEAD)
Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social (SEAS)
Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico (SEDE)
Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano e Rural (SEDU)
Secretaria Municipal de Educação (SEMEC)
Secretaria Municipal de Esportes, Cultura, Lazer e Juventude (SEEC)
Secretaria Municipal de Finanças (SEFI)
Secretaria Municipal de Meio Ambiente (SEMA)
Secretaria Municipal de Obras e Serviços Públicos (SEOS)
Secretaria Municipal de Saúde (SEMUS)
 
 
Investidor
Distrito Industrial
Incentivos
Serviços Oferecidos
 
Transparência
Contas Públicas
Portal da Transparência
Prestação de Contas
 
Fale com o Governo
Controladoria
Telefones Úteis
Fale Conosco
 
 
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
AGENDA CULTURAL
RH ONLINE
WEBMAIL
 
PREFEITURA DE CRUZEIRO
Rua Capitão Neco, 118 - Centro
Cruzeiro - SP/ CEP: 12701-020
 
 
Horário de Funcionamento
08h às 17h